Cirurgias de estrabismo

Os estrabismos são corrigidos por meio do uso de óculos ou de cirurgia. Operam-se os estrabismos que não são corrigidos com óculos ou a parte que os óculos não conseguem corrigir. Os estrabismos que se corrigem com óculos são chamados de acomodativos e estão relacionados, em geral, com a necessidade de correção do grau de hipermetropia. Somente os desvios latentes e os intermitentes pequenos é que são passíveis de serem auxiliados pelos exercícios ortópticos.

Pelas implicações de perda de visão, bem como pela possibilidade de ser manifestação de outras doenças, os pacientes com estrabismo devem ser examinados pelo especialista tão logo haja suspeita de desvio ocular.

Para entender como funciona a cirurgia de estrabismo, é preciso considerar que cada um dos olhos tem seis músculos exteriores que controlam os movimentos dos olhos. Se um músculo é muito forte, quando o paciente tem estrabismo, ele pode fazer com que o olho gire ou fique desalinhado. Por outro lado, a fraqueza do músculo ocular, em certos casos, também pode causar o desalinhamento dos olhos. Essa condição pode ocorrer se você tiver uma disfunção do nervo cranial que afeta os músculos oculares que controlam o movimento. Existem  opções cirúrgicas para ajudar a corrigir esses tipos de problemas:

Cirurgia de estrabismo envolvendo procedimentos de recessão e ressecção

Em um procedimento de recessão, o oftalmologista retira o músculo ocular que é muito forte e faz a ressecção por trás do olho para enfraquecer a força relativa do músculo. Em contraste, se o músculo é muito fraco, o cirurgião pode usar um procedimento de recessão para reduzir a força do músculo e conseguir a função mais equilibrada dos músculos oculares.

Sutura ajustável na cirurgia de estrabismo

Com a cirurgia do músculo do olho de sutura ajustável, o cirurgião ajusta suturas segurando músculos oculares no local após um procedimento de ressecção, para tentar melhorar o resultado final.Geralmente esta cirurgia só é possível em adultos e apenas uma pequena percentagem de pacientes é capaz  de se beneficiar dela. É mais indicada  para alguém em quem desenvolveu estrabismo na vida adulta após um  alinhamento ocular previamente normal.

Os principais riscos da cirurgia de estrabismo estão a  hipocorreção e a hipercorreção. Há pequenos riscos de infecção, sangramento e cicatrização excessiva. Complicações que podem conduzir à perda de visão são extremamente raras.