Diabetes e doenças oculares

Pessoas com diabetes são mais propensas a desenvolver doenças oculares que podem levar à cegueira. No entanto, estudos recentes revelaram uma baixa conscientização sobre a questão entre as etnias em maior risco de diabetes, além de uma baixa realização de exames oftalmológicos preventivos em diabéticos.

Embora os hispânicos e afro-americanos sejam mais propensos a desenvolver diabetes em comparação à maioria das outras etnias, uma pesquisa recente, feita pela Alliance for Eye and Vision Research revelou que apenas 27% e 32% (respectivamente das etnias) sabem da existência da doença ocular diabética.

A recomendação médica é a de que as pessoas com diabetes façam um exame de fundo de olho anualmente. No entanto, um estudo recentemente publicado na revista Ophthalmology descobriu que, entre os beneficiários do Medicare (espécie de SUS americano) diagnosticados com degeneração macular relacionada à idade, (DMRI), glaucoma ou diabetes – condições que requerem pelo menos um exame oftalmológico anual – três quartos não fizeram um exame oftalmológico, nos últimos cinco anos, justamente, os pacientes diagnosticados com diabetes.

“É alarmante constatar que tantas pessoas com diabetes ou em situação de risco para diabetes não estejam cientes dos danos que essa condição pode causar à visão e que não façam exames regulares para verificar seu estado de saúde. Além de manter bons níveis de glicose no sangue, fazer um exame anual de fundo de olho é a melhor defesa contra a perda de visão por doença diabética”, afirma o oftalmologista Virgílio Centurion (CRM-SP 13.454), diretor do IMO, Instituto de Moléstias Oculares.

Para a oftalmologista Roberta Velletri (CRM-SP 113.044), que também integra o corpo clínico do IMO, “as pessoas podem não estar cientes de que o termo doença ocular diabética engloba uma série de doenças e condições que podem causar cegueira”, defende a médica, que a seguir, lista essas condições:

  • Retinopatia diabética:  afeta 28,5% das pessoas com 40 anos ou mais com diabetes. “A doença acomete os vasos da retina que são danificados pelo excesso de açúcar no sangue. Eles entopem e rompem, e como defesa, o organismo produz vasos sanguíneos alterados, que podem levar a um sangramento intenso na retina e no vítreo e ao descolamento de retina, que leva à perda da visão, se não tratada a tempo”, explica Roberta Velletri;
  • Catarata: ocorre quando a lente do olho, o cristalino, torna-se turvo, deixando a visão obscura ou nebulosa. “Enquanto esse processo acontece naturalmente, em muitas pessoas, à medida em que envelhecemos, as pessoas com diabetes são mais propensas a desenvolver catarata do que seus pares sem diabetes. Uma vez diagnosticada a catarata haverá a necessidade de cirurgia, onde  o cristalino opaco natural é removido e substituído por um implante de lente artificial conhecido como uma lente intraocular ou IOL”, explica Virgílio Centurion;
  • Glaucoma: a doença danifica o nervo óptico e prejudica a visão periférica. “O dano no nervo óptico é geralmente causado pela pressão elevada no olho. Pessoas com diabetes também são mais propensas a desenvolver glaucoma, que raramente apresenta quaisquer sintomas perceptíveis em seus estágios iniciais. O glaucoma pode ser tratado com medicação ou com cirurgia, mas irá resultar em cegueira, se não for tratado. O dano no nervo óptico é geralmente causado pelo aumento da pressão intraocular decorrente das complicações do diabetes”, explica a oftalmologista Márcia Lucia Marques (CRM-SP 110.583), especialista em glaucoma, que também integra o corpo clínico do IMO.