Laser para tratamento do ceratocone

A visão embaçada é, geralmente, o sintoma que leva o paciente a recorrer a um oftalmologista. O que, em princípio, parece um astigmatismo elevado, pode se revelar num diagnóstico de ceratocone, confirmado através de uma topografia de córnea. Em muitos casos, a doença permanece na fase mais simples, sendo tratada com o uso de óculos de grau. Mas outras opções terapêuticas também estão disponíveis, tais como as que empregam laser:

Crosslinking de colágeno

O ceratocone é uma alteração nas fibras de colágeno, o crosslinking é uma aplicação de uma vitamina chamada riboflavina (B2) na córnea que, quando exposta à luz ultravioleta, a cada cinco minutos, durante um total de 30 minutos, estimula novas ligações entre as moléculas de colágeno. A técnica endurece a parte anterior da córnea e estabiliza o ceratocone.

Método CAP – Contour Ablation Pattern

O cirurgião utiliza o laser excimer precisamente controlado para esculpir a córnea e atingir o resultado ideal. Pacientes com mais de 30 anos de idade, baixo grau de miopia e astigmatismo, visão estável e córnea com espessura suficiente podem se beneficiar muito do método CAP, obtendo resultados muito parecidos com a cirurgia a laser PRK (fazendo uso de óculos).

Laser de femtosegundo

O uso do laser de femtosegundo vem proporcionando uma cirurgia mais precisa no implante do anel intraestromal, além de garantir uma recuperação mais rápida para os pacientes. Essa tecnologia vem sendo bastante valorizada pelos portadores de ceratocone que desejam melhorar a visão. Seu uso também já foi aprovado na realização do transplante de córnea. O laser de fentosegundo é um dos maiores avanços na cirurgia de córnea nos últimos 30 anos.