Muito tempo de tela prejudica a visão das crianças

Como as crianças passam mais tempo diante das telas, existe uma preocupação crescente sobre possíveis danos ao seu desenvolvimento visual. Os oftalmologistas estão observando um aumento significativo de crianças com olho seco e cansaço visual devido ao excesso de tempo de tela.

Mas a fadiga ocular digital causa danos permanentes na visão infantil? As crianças devem usar óculos de leitura ou óculos para computador? É fato que existe uma epidemia mundial de miopia. Desde 1971, a incidência de miopia, nos EUA, quase dobrou, para 42%. Na Ásia, até 90% dos adolescentes e adultos são míopes. Claramente, algo está acontecendo. Mas os cientistas ainda não conseguem identificar exatamente o quê.

“Um novo estudo, publicado na Ophthalmology,  revista da Academia Americana de Oftalmologia, oferece mais evidências de que pelo menos parte do aumento mundial da miopia tem a ver com atividades relacionadas ao trabalho; não apenas ao uso de telas, mas também ao de livros tradicionais. E que passar tempo ao ar livre, especialmente na primeira infância – pode retardar a progressão da miopia”, afirma o oftalmologista Virgílio Centurion, diretor do IMO, Instituto de Moléstias Oculares.

Ainda não está claro se o aumento da miopia deve-se ao foco em smartphones o tempo todo ou à luz interagindo com nossos ritmos circadianos para influenciar o crescimento dos olhos ou a nenhum dos itens anteriores.

Enquanto os pesquisadores buscam uma resposta definitiva, não há dúvida de que a maioria dos usuários de computador experimenta a fadiga ocular digital. “As crianças não são diferentes dos adultos quando se trata de fadiga ocular digital. Elas também apresentam olho seco, cansaço visual, dores de cabeça e visão embaçada. Embora os sintomas sejam tipicamente temporários, eles podem ser frequentes e persistentes”, explica a oftalmologista do IMO, Maria José Carrari.

Mas isso não significa que  elas  precisam de uma receita para óculos de computador ou que tenham desenvolvido uma condição ocular de meia-idade que requer óculos de leitura, como alguns sugerem. Também não significa que a luz azul proveniente das telas dos computadores esteja danificando seus olhos.

“Isso significa que elas precisam fazer pausas mais frequentes. Isso ocorre porque não piscamos com tanta frequência ao usar computadores e outros dispositivos digitais. Leitura prolongada, escrita ou outro trabalho intensivo também pode causar fadiga ocular. Os oftalmologistas recomendam uma pausa de 20 segundos a cada 20 minutos de trabalho”, orienta Maria José.

“É melhor ensinar às crianças melhores hábitos, em vez de lhes fornecer uma muleta como óculos de leitura para permitir que eles consumam ainda mais mídia. Se você corre muito e suas pernas começarem a doer, você pára. Da mesma forma, se você  lê, por muito tempo, ou assiste a vídeos, por muito tempo, e seus olhos começam a doer, pare. É isso o que deve ser ensinado às crianças”, defende a oftalmologista.

Dicas para ajudar a proteger os olhos das crianças da fadiga ocular do computador:

  1. Use um temporizador de cozinha ou um temporizador de dispositivo inteligente para lembrá-las de fazer pausas;
  2. Oriente-as a alternar a leitura de um e-book com um livro real e incentive as crianças a olharem para cima e para fora da janela a cada dois capítulos;
  3. Depois de completarem um nível em um videogame, peça que olhem pela janela por 20 segundos;
  4. Marque previamente os livros com um clipe de papel, em intervalos, de alguns capítulos, para lembrar as crianças de fazerem pausas. Em um e-book, use a função bookmark para o mesmo efeito;
  5. Oriente-as a não usar o computador fora ou em áreas muito iluminadas, pois o brilho na tela pode criar tensão ocular;
  6. Ajuste o brilho e o contraste da tela do computador para que fique confortável para o usuário;
  7. Oriente as crianças sobre a boa postura ao usar um computador;
  8. Incentive-as o a manter a mídia digital mais distante possível dos olhos;
  9. Lembre-as de piscar ao fazer uso de telas.
  10. Ofereça opções de atividades não ligadas a computador, de preferência, exercícios físicos, esportes, etc.