Cirurgia de glaucoma

Existem três tipos de tratamento para o glaucoma: uso de colírios, laser e cirurgia. O uso de medicamentos é a primeira opção e mais frequentemente indicada. O tratamento a laser, por sua vez, reduz a pressão através da drenagem do líquido. Seu efeito não é imediato, sendo o resultado final obtido em um período de, pelo menos, 4 a 6 semanas. Em caso de glaucoma pigmentário, é indicada a iridomia com laser, que cria um pequeno orifício na íris e possibilita a livre circulação do humor aquoso ao longo dessa estrutura.

O tratamento cirúrgico se inicia com um completo exame oftalmológico que se segue por uma sequência de procedimentos pós-operatórios. Geralmente, a cirurgia é feita com anestesia local e no fim do processo, o paciente retorna ao seu quarto com um curativo sobre o olho operado. Conheça as opções cirúrgicas:

Trabeculectomia

O especialista em glaucoma pode recomendar que uma incisão cirúrgica seja feita, onde  um compartimento é criado no olho para armazenar o humor aquoso que se desloca. Para atingir esta meta, uma trabeculectomia envolve a remoção parcial do sistema de drenagem do olho.

A trabeculectomia é o processo cirúrgico mais realizado para o glaucoma, quando a pressão intraocular não é controlada pelos colírios, medicamentos ou pela trabeculoplastia a laser.

Goniotomia

A goniotomia é a cirurgia tipicamente realizada em  casos de glaucoma congênito, lactentes e crianças pequenas, quando uma lente especial é exigida para a visualização das estruturas internas do olho, visando criar aberturas na malha trabecular para permitir a drenagem de fluidos.

Stents e implantes para glaucoma

Stents e implantes para glaucomas são pequenos dispositivos que são inseridos cirurgicamente para dentro do olho durante uma trabeculectomia para aumentar a saída de fluido intraocular e reduzir a pressão intraocular elevada.

Os dispositivos, geralmente feitos de materiais de silicone, tais como, polipropileno ou metais biocompatíveis, criam uma via de passagem alternativa para a fase aquosa, ignorando lesões no olho ou canais de filtragem obstruídos.

O termo “implantes para glaucoma” também abrange dispositivos minúsculos implantados no olho que são concebidos para proporcionar uma liberação sustentada de medicamento para glaucoma para reduzir a pressão ocular.Complicações com esses implantes podem incluir a criação de uma pressão que é demasiado baixa para a função ocular olho (hipotonia). Eles também podem causar erosões nos tecidos oculares onde foram colocados.

Apesar dos riscos, stents e implantes para glaucoma são seguros e eficazes e podem diminuir ou eliminar a necessidade de medicamentos diários para o glaucoma.