Apneia do sono associada a doença ocular em pessoas com diabetes

Novas pesquisas de Taiwan mostram que a apneia grave do sono é um fator de risco para o desenvolvimento do edema macular diabético, uma complicação do diabetes que pode causar perda de visão. O edema macular diabético também foi mais difícil de tratar em pacientes com apneia grave do sono. Enquanto pesquisas anteriores mostraram uma conexão fraca entre as duas condições, existem evidências de que a apneia do sono exacerba a doença ocular subjacente. Os pesquisadores apresentaram o estudo durante a  Reunião Anual da Academia Americana de Oftalmologia, 2019.

 

Diabetes e danos à visão

 

“Quando as pessoas com diabetes têm pouco controle sobre seus níveis de açúcar no sangue, os pequenos vasos sanguíneos na parte de trás do olho podem ser danificados. Essa condição é chamada retinopatia diabética”, explica o oftalmologista Virgílio Centurion, diretor do Instituto de Moléstias Oculares, IMO.

 

Na presença do diabetes sem controle, pequenas protuberâncias se projetam dos vasos sanguíneos, vazando fluido e sangue para a retina. Este líquido pode causar inchaço ou edema em uma área da retina que nos permite ver claramente.

 

Apneia e danos à visão

 

A apneia do sono é um distúrbio no qual a respiração para e inicia-se repetidamente, interrompendo o sono e causando a queda dos níveis de oxigênio no sangue. Essa queda no oxigênio parece desencadear uma série de alterações no corpo que podem desempenhar papel na lesão dos vasos sanguíneos. Pessoas com apneia do sono correm risco de desenvolver hipertensão, ataques cardíacos, derrame e diabetes tipo 2.

 

“Os pesquisadores acreditam que a apneia do sono pode contribuir para o desenvolvimento e o agravamento da retinopatia diabética, aumentando a resistência à insulina, elevando a inflamação e aumentando a pressão arterial, o que pode danificar os vasos sanguíneos na parte posterior do olho”, informa o oftalmologista Juan Caballero, que também integra o corpo clínico do IMO.

 

Para se aprofundar nesse assunto, os pesquisadores analisaram dados de todos os pacientes diagnosticados com retinopatia diabética, durante um período de 8 anos, no Hospital Memorial Chang Gung, em Taiwan. Eles descobriram que a taxa de apneia grave do sono era significativamente maior em pacientes com edema macular diabético em comparação com aqueles sem edema macular diabético (80,6% vs. 45,5%).  Também descobriram que quanto pior a apneia do sono, pior o edema macular. “A apneia grave do sono também foi mais prevalente em pacientes que precisavam de mais tratamento para controlar o edema macular. Esses pacientes necessitaram de três ou mais sessões de laser ou consultas médicas” , diz Juan Caballero.

 

Com base nos resultados do estudo, os pesquisadores esperam que mais profissionais abordem a apneia do sono como um fator de risco para o edema macular diabético, o que pode permitir uma intervenção médica anterior, para que os pacientes possam manter sua visão e preservar sua saúde geral o máximo possível.